Vamos lá viver o verão com cabelos como deve ser

Todos os anos é a mesma coisa: mergulhar no mar é das experiências mais incríveis que o verão nos proporciona, mas dá-nos cabo dos cabelos. Este é um dado irrefutável.

A pensar nos amantes da praia, deixo hoje três receitas muito práticas à base de produtos naturais que, para além do baixo custo, oferecem outras vantagens: não prejudicam o ambiente, não são nocivos para a saúde e favorecem a beleza dos cabelos longos e curtos, deixando-os hidratados e nutridos.

Primeiro para os nadadores. Champô de azeite e amêndoas:amendoas

  • ½ litro de água
  • 120 gramas de raspa de sabonete de azeite de oliva (é fácil encontrar nas lojas de produtos naturais)
  • ¼ de chávena de café de óleo de amêndoas

Depois de ferver a água, despeje-a sobre as raspas do sabonete e mexa até que este se dissolva. Junte o óleo de amêndoas. Aplique a mistura morna sobre os cabelos e aguarde dois minutos até enxaguar.

Agora para os cabelos danificados e quebradiços. Champô de coco:coco

  • ¼ de chávena de leite de coco
  • 1/3 de chávena de champô infantil (neutro)
  • 1 colher de sopa de óleo de amêndoas

Junte os ingredientes num recipiente e agite até obter uma mistura homogénea. Aplique sobre os cabelos húmidos. Enxaguar após dois minutos.

Por último uma receita para os cabelos ressequidos pelo ação do mar e do vento. Champô de conhaque e mel:mel

  • 1 colher de sopa de mel
  • ½ copo de champô infantil (neutro)
  • 1 copinho de conhaque

Misture os ingredientes, aplique sobre os cabelos molhados em água morna e aguarde cerca de oito minutos. Enxaguar com água fria.

Agora já pode ir a banhos!

As gémeas que se dedicam à ‘alquimia’ em Olhão

Se não fosse pela deliciosa sandes de queijo fresco, se não fosse pelos irresistíveis sumos naturais e pelos hiper energéticos detox, se não fosse pelos variadíssimos produtos regionais, ou por esta mania de ir comer a Olhão, iria sempre à Alquimia da Terra pela simpatia das irmãs Camões.

Passar por Olhão e ignorar o convite para nos sentarmos à fresca na esplanada laranja e verde, não vale a pena! É aqui que temos a oportunidade de conhecer a mais agradável loja gourmet da cidade cubista e o sorriso temperamental da Fátima a contrastar com os gestos serenos da Margarida. Ambas nascidas no mesmo dia, em Abrantes, ou não fossem gémeas.

Virada para fora e para dentro dos mercados tradicionais que, quer queiramos, quer não, fazem-nos sempre lembrar um certo passado arabesco, a Alquimia da Terra é uma lufada de ar muito clean na inquieta 5 de Outubro.

alq 2alq 3

São muito de terras algarvias os produtos à venda para consumirmos na hora, ou para levarmos para casa. Ao almoço temos de ir cedo para apanhar a quiche, mas a sandes de queijo fresco em pão escuro é das melhores que já comi na minha vida. Acompanhada por um sumo natural, claro! De frutas ou de vegetais: a grande aposta desta loja singular que nos provoca a gula pelos produtos da terra.

Quer se entre pela esplanada virada para a avenida, ou pelo mercado dos frescos, não há meia volta a dar. Os licores regionais, o mel, os saquinhos de flor de sal temperado com vinho do porto ou piri-piri, as conservas, os figos, os patês, os azeites e o medronho, a ginja, os portos, as amêndoas, as bolachinhas e os bolos secos, dão-nos a volta à cabeça. E é possível vir embora sem participar na prova de bebidas espirituosas que está disponível a qualquer hora? Não!

No meio disto tudo ainda temos as mimosas peças de olaria de Francisco Eugénio e as sacolas coloridas feitas pelas mãos de Paula Rocha, amiga da casa.

Mas não pense que chega lá e avia-se sempre à vontade. Ai de quem se atrever a pedir um sumo onde a melancia e o morango sigam juntos. Atrevi-me e fiquei com a minha ignorância posta a nu. A mim serviu-me de lição. A quem lá for, que se sirva de tudo e que tudo lhe sirva de muito bom proveito. É o meu desejo!

A ervinha milagrosa que nos dá saúde e beleza

É uma das ervas com mais clorofila no planeta Terra. E, para além de outros benefícios para o nosso corpo, também ajuda a regular o peso.

Quem ainda não conhece, ou não usa, a erva de trigo, está a perder muita coisa e quilinhos não são certamente. Esta delicada mas poderosa ervinha que pode ser plantada em casa, contém todos os minerais de que necessitamos, oferece-nos vitaminas importantes (A,B,E,G e K) e é extremamente rica em proteínas, pois contém 17 aminoácidos.

erva de trigo 1Deve ser consumida logo pela manhã, ainda em jejum, ou à noite antes de dormir, momentos em que se intensifica o seu efeito desintoxicante e alcalinizante, a par de outros e muitíssimos benefícios. São inúmeros mas deixo aqui alguns:

– Retarda o envelhecimento e as rugas, regula os níveis de açúcar no sangue, reduz o peso, a pressão arterial e a fadiga, aumenta a libido e a hemoglobina, alivia a dor e a inflamação, cura o mau hálito e remove do organismo metais pesados, o mercúrio, o cloro e o flúor. Está indicada no tratamento de doenças de pele, da anemia e da artrite, para além de revitalizar o fígado e prevenir a diabetes. Algumas clínicas usam-na mesmo no tratamento oncológico.

Vamos ao sumo? Este deve ser feito com as folhas frescas, mas se não tem possibilidade de cultivar em casa, pode adquirir a erva de trigo desidratada numa boa ervanária ou loja de produtos naturais.

Para quem gosta de meter as mãos na terra, eis a dica para o cultivo:

erva de trigo 2– Mergulhe as sementes de trigo em água durante oito horas e depois escorra-as e preserve-as húmidas, drenando-as regularmente, até germinarem. Coloque-as então num vaso com terra orgânica, coberto com folhas de jornal, até surgirem as primeiras folhas. Regue diariamente de preferência com um borrifador até atingirem os cerca de 15 centímetros de altura. Nesta fase estão prontas para serem colhidas. Corte uma pequena porção acima da raiz e triture num espremedor com 3 cl de água. Depois de coado o seu shot está pronto para beber.

Esta receita divinal não deve ser consumida por quem esteja a tomar anticoagulantes ou em caso de gravidez. De resto, use e abuse ao natural, em batidos ou misturada com frutas. E sinta-se bem!

Como fazer um desodorizante caseiro que elimina odores e alergias

desnaturalO calor aperta. Como se já tivéssemos mergulhado no verão e nos seus belos dias de mar, de sol, de festas e de viagens que nos sabem sempre tão bem.

O verão desperta-nos esta vontade suplementar para viver, mas traz umas quantas coisinhas incómodas. Como a transpiração e às vezes um indisfarçável cheiro… a suor. Um problema? Sim, para quem tem a pele mais sensível e rejeita os desodorizantes à base de substâncias químicas, responsáveis por alergias nas axilas. Manchas vermelhas e ardor são os sintomas mais vulgares, que causam um sério desconforto. Mas é possível resolver.

A receita é simples e super económica. Para fazer o seu desodorizante natural só precisa de três ingredientes que provavelmente tem em casa: óleo de coco, bicarbonato de sódio e amido de milho (a nossa conhecida Maizena).

Tanto o óleo de coco como o bicarbonato de sódio são anti-bacterianos pelo que eliminam as bactérias responsáveis pelo odor desagradável, sem inibir a transpiração. Quanto ao amido de milho, ajuda a manter a pele menos húmida. O resultado é de uma permanente frescura e sem cheiro, já que o próprio aroma do óleo de coco desaparece ao fim de alguns minutos após a aplicação.

IMG_20170614_162415Junte 2 colheres de sopa de bicarbonato de sódio e 2 de amido de milho. Adicione 3 colheres de sopa de óleo de coco (não refinado) e misture bem até obter um creme. No início parece que não vai pegar, mas pega e em poucos minutos temos o nosso desodorizante natural. Pode juntar ainda três a cinco gotas de um óleo essencial. Coloque o creme num frasquinho de vidro com tampa e está pronto a usar. Aplique com os dedos. Nos dias mais quentes guarde no frigorífico, ou use um doseador, pois o óleo de coco derrete com o calor.

E agora faça-se ao verão. Sem complexos!