Silêncio, que estou a meditar!

É provável que já se tenha imaginado muito confortavelmente sentado no chão, com as pernas cruzadas e as costas direitas, naqueles momentos em que parece ter reunido coragem para começar a meditar. Mas…. esta posição não é nada cómoda para quem nunca a experimentou e nos primeiros dias o mais que pode acontecer é sentir o corpo a reclamar. De meditação…nem sinal. Não desanime ainda. Meditar é possível!

Primeiro temos de considerar um facto importante: meditar exige uma mente cem por cento consciente e zero por cento pensante, pelo que há algum trabalho a fazer antes de conseguir chegar lá. O segredo é começar por uma prática holística, que lhe permita reconquistar o pleno equilíbrio entre corpo, mente e emoções. Assim, sim. Estará preparado para alcançar resultados, embora até atingir o tal estado de mente zero por cento pensante, sejam necessários muitos meses de prática diária. Mas compensa, perante os benefícios que vêm depois. Um deles é o permanente estado de serenidade que nos ajuda a gerir, por exemplo, momentos mais difíceis.

Como temos de começar sempre por um pequeno gesto ou decisão, fica um conselho: Pratique Yoga e opte por uma alimentação saudável. Depois comece por fazer em casa, diariamente, este exercício:

Sri-Yantra-Mandala_art– Sente-se no chão, de pernas cruzadas, num ambiente calmo e silencioso. Relaxe e coloque as mãos sobre os joelhos unindo as pontas dos dedos  indicador e polegar. Utilize uma vela ou um yantra (mandala) e concentre-se nesse símbolo durante alguns minutos respirando calmamente (de preferência, uma respiração abdominal). Deixe os pensamentos fluírem sem ficar preso a nenhum deles. Alguns minutos depois feche os olhos tentando reter a imagem da vela (ou yantra) no ponto entre as sobrancelhas (Ajña Chakra). Permaneça neste ‘estado’ até se sentir bem assim.

Aos poucos vai dominando o primeiro dos primeiros requisitos para meditar: a abstração dos sentidos. Daqui até à concentração contínua (segunda etapa) ainda vai demorar uns tempos. Mas para quem quer adotar para a sua vida esta prática ancestral sabe que conhecimento e sabedoria exigem dedicação e tempo.

E mais uma nota importante: a meditação é uma prática muito pessoal e não necessita de guias. Há que levar a sério esta questão, perante as muitas ilusões criadas à custa da meditação.

A ervinha milagrosa que nos dá saúde e beleza

É uma das ervas com mais clorofila no planeta Terra. E, para além de outros benefícios para o nosso corpo, também ajuda a regular o peso.

Quem ainda não conhece, ou não usa, a erva de trigo, está a perder muita coisa e quilinhos não são certamente. Esta delicada mas poderosa ervinha que pode ser plantada em casa, contém todos os minerais de que necessitamos, oferece-nos vitaminas importantes (A,B,E,G e K) e é extremamente rica em proteínas, pois contém 17 aminoácidos.

erva de trigo 1Deve ser consumida logo pela manhã, ainda em jejum, ou à noite antes de dormir, momentos em que se intensifica o seu efeito desintoxicante e alcalinizante, a par de outros e muitíssimos benefícios. São inúmeros mas deixo aqui alguns:

– Retarda o envelhecimento e as rugas, regula os níveis de açúcar no sangue, reduz o peso, a pressão arterial e a fadiga, aumenta a libido e a hemoglobina, alivia a dor e a inflamação, cura o mau hálito e remove do organismo metais pesados, o mercúrio, o cloro e o flúor. Está indicada no tratamento de doenças de pele, da anemia e da artrite, para além de revitalizar o fígado e prevenir a diabetes. Algumas clínicas usam-na mesmo no tratamento oncológico.

Vamos ao sumo? Este deve ser feito com as folhas frescas, mas se não tem possibilidade de cultivar em casa, pode adquirir a erva de trigo desidratada numa boa ervanária ou loja de produtos naturais.

Para quem gosta de meter as mãos na terra, eis a dica para o cultivo:

erva de trigo 2– Mergulhe as sementes de trigo em água durante oito horas e depois escorra-as e preserve-as húmidas, drenando-as regularmente, até germinarem. Coloque-as então num vaso com terra orgânica, coberto com folhas de jornal, até surgirem as primeiras folhas. Regue diariamente de preferência com um borrifador até atingirem os cerca de 15 centímetros de altura. Nesta fase estão prontas para serem colhidas. Corte uma pequena porção acima da raiz e triture num espremedor com 3 cl de água. Depois de coado o seu shot está pronto para beber.

Esta receita divinal não deve ser consumida por quem esteja a tomar anticoagulantes ou em caso de gravidez. De resto, use e abuse ao natural, em batidos ou misturada com frutas. E sinta-se bem!